CANIBALISMO

Por JURA | 10/28/2011 11:49:00 AM em | comentários (1)

MÚSICA ME ENGOLE E ME COSPE DIFERENTE.

cores impressionistas

Por JURA | 10/21/2011 11:44:00 AM em | comentários (0)

Não se assustem se eu cantar
Como grito ou forte gemido
Ou quem sabe um coro
Inteiro gregoriano
Canto chão
Canto da minha boca
Cores impressionistas
Canto que nem sopro de criação
Canto tão canto como grito
Ou forte gemido.

Diário Velho

Por Poeta Clebber Bianchi | 10/19/2011 11:24:00 PM em | comentários (1)


Encontrei alguns sonhos
que estavam guardados num diário velho
empoeirado
Havia um diário triste
Uma carta de amor
Uma foto 3x4 desbotada
A letra de uma música
E a história adolescente de uma vida

Havia lembrança
Havia saudade...

Só não havia
o que mais deixei nas entrelinhas:

Futuro.

VENCER

Por Pedro Du Bois | 10/19/2011 04:25:00 PM em | comentários (0)

Comemora sua vitória

           glória
           inatingível
           em vida
           reposta
       à lápide
       em palavras
             metalizada
             na saudade.

(Pedro Du Bois, inédito)

CONVITE

Por Eryck Magalhães | 10/19/2011 11:38:00 AM em | comentários (0)

Feliz dia das crianças

Por Eryck Magalhães | 10/12/2011 12:49:00 AM em | comentários (0)


O pato indeciso
empata toda hora
com a linda patinha branca
ele não sabe se namora.

             ***

Nhoca
a minhoca dorminhoca
come nhoque
todo dia
nhoc nhoc
nhoc nhoc 
nhoc nhoc
que alegria!

LIBERDADE

Por Pedro Du Bois | 10/11/2011 08:53:00 AM em | comentários (0)



Ao homem a prisão do espaço
cria tempos de passagem

o amargor
com que nos perdemos
em liberdades

a extensão ignorada
dos movimentos

o humano no ínfimo e inexato
pensamento: liberdade condicionada
à sobrevivência

(de que adianta o universo
 sem o espírito crítico?)

     o espaço inibe o soar dos sinos
     e do fim ainda não fomos
     alertados.

(Pedro Du Bois, inédito)

INTEIREZA

Por JURA | 10/10/2011 09:21:00 PM em | comentários (0)

MUITO INTENSA
INDEFESA
CLARIVIDÊNCIA

MUITO INTENSA
FREMÊNCIA
INTEIREZA.

RISO

Por JURA | 10/10/2011 09:19:00 PM em | comentários (0)

O  demônio não nos afronta, só ri de nossas pálidas crenças.

Por MusicOrama | 10/08/2011 11:03:00 AM em | comentários (0)

segunda: acordar a vida pra trabalhar dentro dela;

terça: continuar fiel ao caminho escolhido;

quarta: subir o mar d'almas, respirar e voltar a mergulhar;

quinta: é quase o fim da viagem... quase afim;

sexta: dia de lua, sempre cheia. dia de rua, sempre alheia. dia de voltar pra casa e
lembrar de amar;

sábado: continuar amando;

domingo: despedidas e lembranças (lembrar de amar/lembrar de amar/lembrar de amar...).

AGORA

Por JURA | 10/05/2011 07:47:00 PM em | comentários (0)

Quero fotografá-los agora porque, é claro, eles crescem muito. Seus olhos súplices, acanhados, muitas vezes se tornam arrogantes. Seus corpos, suas idéias buscam outros olhares.
Talvez mais tarde eles nem se reconheçam nessas fotos de agora, com olhinhos felizes, inocentes e loucos para pular da cadeira e pra fora das pareces da sala, sentir o sol na pele, o vento  nos cabelos e a água fria dos rios em dias bem quentes.
Talvez não se reconheçam, mas o que virá de arrogância, segurança e outros olhares já estão presos nessas fotos de agora.

LÓGICA

Por Pedro Du Bois | 10/05/2011 09:49:00 AM em | comentários (1)



Abandono a lógica irreversível
das promessas: receio ofender a menor
parte distribuída, o escutar do murmúrio
decomposto em marcos dividindo
o espaço: cada um para um lado, cada
um do seu lado, cada um do lado errado

     na lógica abandonada sacio
     a fome descomunal dos adjetivos
     e os empresto ao vento que os infla
     no crime doentio dos silogismos

abandono a lógica racional dos percursos
e guio meu corpo ao abismo de onde olho
abaixo e longe o contato futuro e imediato

      na lógica reside o abandono
      da mágica apresentada em lona
                              de circo.

(Pedro Du Bois, inédito)

DEBATE CULTURAL

Por JURA | 10/03/2011 06:35:00 PM em | comentários (0)

PRESTIGIEM, DIVULGUEM, PARTICIPEM!!!

Acerto de contas

Por Eryck Magalhães | 10/02/2011 06:27:00 PM em | comentários (0)

O Papa diz:
- Perdão.
O Pajé, de terço no pescoço, responde:
- Amém.

(Eryck Magalhães, Ecos e outros versos, 35)


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos