FORMIGUEIRO

Por W.G. | 6/03/2012 11:29:00 PM em , , |

Queria parar de escrever,
construir minha obra
em torno do silêncio,

mas as palavras
são formigas insaciáveis:

de migalha em migalha
carregam meu silêncio
para fora de mim;

faz-se matéria-prima
e alimento
para o que
escrevo.


[gORj]

2 comentários:

  1. cimatti on 4 de junho de 2012 10:17

    Também passo por isso, queria sossegar, mas cada sopro de vida me leva pra outra viagem epifânica... E, assim, não consigo parar de descrevê-las, como acabei de fazer. Que terrível infortúnio esse o nosso!

     
  2. JURA on 4 de junho de 2012 17:22

    gosto muito de seus poemas e desse, então, muito bom

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos