Crash

Por Tonho França | 4/01/2011 12:13:00 PM em |

Crash




Sinto a aspereza do tempo e da pressa

A rudeza dos olhares cinzas e sem graça

Pessoas pessoas pessoas pessoas pessoas

Tráfego fumaça buzina anonimato fome pressa

Pessoas pessoas pessoas pessoas pessoas

O sol não traz cores diferentes, o sol é quase que rotina

As flores de plástico enfeitam parapeitos entre grades

Há milhões de vozes e ruídos, nada em conjunto faz sentido

Pessoas pessoas pessoas pessoas pessoas pessoas

Necessidade vontade fome fumaça buzina anonimato

E eu poeta sozinho fumo meu cigarro no canto da página da vida

Criando versos de cimento e ferro, áspero, rude, agressivo

Pessoas pessoas pessoas pessoas pessoas pessoas

Todas elas em trânsito, em tráfego, em mim, comigo...



Tonho frança

1 comentários:

  1. JURA on 1 de abril de 2011 17:14

    maravilha, coisa fina. ABRAÇOS

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos