SOLIDÃO

Por JURA | 2/12/2011 03:30:00 PM em |

A morte
num cemitério abandonado
à beira-mar.

a morte
assim
à beira
não mete medo

POEMA REFORMULADO COM A LUXUOSA SUGESTÃO DO AMIGO POETA FABIANO FERNANDES GARCEZ

1 comentários:

  1. Tonho França on 13 de fevereiro de 2011 13:37

    Jura, poeta e amigo, poema muito bom, e legal essa interação com o Fabiano, a sugestão dele foi boa sim, eu tb acataria...
    ficou bem imagético...
    e esse "à beira" ganha outra interpretação, pode ser "próxima a acontecer" prestes a acontecer...
    muito bom
    abraço Poeta

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos