(DES)TEMPO

Por Pedro Du Bois | 6/30/2011 04:18:00 PM em |

Do passado pressente
o que a memória lembra
na identificação dos rostos
                                    lugares
                                         datas

do passado mente o não acontecido
lembranças nas versões dos fatos

verdades sobrepostas
no verdadeiramente exposto
de onde retira o âmago
angustiado de estar aqui
        
                fantasma iluminado
                de vidas inalcançáveis

do passado sente a expressão
do gosto: a criança ressurge
no tempo na imagem esperada.

(Pedro Du Bois, (DES)TEMPO, Edição do Autor)

2 comentários:

  1. Simone MartinS2 on 30 de junho de 2011 21:29

    Bo noite e é no passado que tenho pensado na vida que deixei de lado, quando passado os meus dias a teu lado. Pressinto que jamais sentirei de novo tudo que no passado ja tinha sentido sem ter sentido antes, mas enfim, so tera sentido aquele que conhece e sente tambem...abraços

     
  2. Simone MartinS2 on 2 de julho de 2011 19:18

    Boa noite, passando para te pedir um favor, pode ser? Então...voce pode me fazer um favor? Entre no meu http://meumodosuavedeescrever.blogspot.com, la voce clika num selinho "TROVADOR LIRICO", vais entrar no blog.OSTRA DA POESIA, tem uma porta marrom, que abre e fecha, entre nela e veras meu poema: O poeta...seus rabiscos...agora, va no final da pagina e envie uma mensagem votando no meu poema, pronto! Obrigada e sempre estarei a te visitar...BJIN em seu coração!

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos