Sobre mulheres e procissões

Por Tonho França | 6/19/2011 12:46:00 PM em |

Sobre mulheres e procissões


As mulheres da rua quinze saem em procissão
Levam no andor carcomido uma santa em sal e rosa
Em coro as vozes desafiam ladainhas e confissões
Nunca amaram de verdade as mulheres da rua quinze
Nunca viveram de verdade
Nunca pecaram intensamente
São apáticas e mornas as mulheres da rua quinze
Não há perdão na mediocridade
Chove forte sobre o andor, a santa se desfaz
A rosa voa aos céus, o sal amarela no canto da calçada
Nunca mais saíram de casa as mulheres da rua quinze

Tonho frança

5 comentários:

  1. Simone Martins2 on 19 de junho de 2011 15:54

    Que belo! Voce foi doce e nao pecou ao falar das mulheres da rua quinze, mas e como voce ve as mulheres de outras ruas? Legal se pensasse em escrever sobre essas outras mulheres...Abraços e gostei muito!

     
  2. Eryck Magalhães on 19 de junho de 2011 17:39

    Tonho, o triste é que as mulheres da rua quinze não habitam apenas a rua quinze.
    Parabéns pelo poema.

     
  3. JURA on 19 de junho de 2011 22:21

    maravilha, demais; poesia linda, sempre

     
  4. Adams on 21 de junho de 2011 00:53

    poeta, td bem?
    preciso entrar em contato com vc por e-mail?
    tirando o terra e o tonhofrança.com.br, qual outro e-mail que vc acessa constantemente para eu poder falar com vc?
    grande abraço, meu amigo.
    até mais.
    Adams.

     
  5. mural do ajosan on 24 de junho de 2011 14:24

    Lindo poema, amigo Tonho; e tudo se desfaz, como tudo. Abração.

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos