Peleja

Por Eryck Magalhães | 7/14/2010 03:07:00 PM em |

No Pelourinho pelava-se a pele.
Negro pelado,
sem cor.

Hoje no Pelourinho
só pelo lourinho.

(Eryck Magalhães, Ecos e outros versos, 15)

1 comentários:

  1. mural do ajosan on 16 de julho de 2010 20:56

    ótimo jogo de palavras, eryck; valeu mesmo. Abração.

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos