DOS AMORES

Por Pedro Du Bois | 9/22/2010 03:39:00 PM em |

Teu amor
traduzido
em estrelas

teu amor
emaranhadas ondas
do meu mundo

teu amor
infinito
sobre o restante

meu destinado
vulto contra o vidro:
recôndito ser.

(Pedro Du Bois, DOS AMORES, 6)

3 comentários:

  1. Anônimo on 23 de setembro de 2010 21:39

    Belo poema meu amigo...difícil escrever sobre amor.
    Fez com maestria
    Forte abraço
    Tonho França

     
  2. mural do ajosan on 25 de setembro de 2010 00:00

    Recôndito ser; muito bom, Pedro. Abraços.

     
  3. Pedro Du Bois on 28 de setembro de 2010 13:18

    Caríssimos, grato pelas leituras. Abraços.

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos