Fim de tarde

Por Tonho França | 9/21/2010 08:26:00 PM em |

O toque púrpura suave do fim de tarde

Colhe o cântico das nuvens.

Nos quintais, as jabuticabeiras

Reluzem um aroma mais adocicado

(talvez típico dos meses de agosto)



Na partitura que rege o universo

Faz-se uma pausa quase que celeste...



Meu olhar, antigo e cansado

Pousa na simplicidade de uma flor amarela

Em um canteiro qualquer.



O momento faz-se eterno

Ainda assim, não me rendo às orações.

Em um silêncio íntimo

Sorvo de um chá de limão e canela

E brindo à vida

Que tudo é

Na pequena flor amarela.





Tonho França.

1 comentários:

  1. JURA on 23 de setembro de 2010 16:58

    como sempre POETA, nas duas últimas blogagens

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos