ACONTECÊNCIA

Por Poeta Clebber Bianchi | 10/18/2010 09:04:00 PM em |

ACONTECÊNCIA


A mulher que chora,

em meio aos galhos retorcidos e secos
que invadem enxeridos a janela
de um quarto triste e de meia cor
meio verde bolor meio marrom poeira
fortemente desprotegido pela porta,
simples, de bambus unidos a barro à força das mãos
e desenfeitado por um retrato sem sorriso
de cores desbotadas de uma mãe-filha e de um filho-pai
que apontam no peito seus corações de desenho pressupondo fé,
fé que não se tem no telhado a aguardar a próxima chuva
que molhará o lençol remendado pelo tempo,

ajoelhada ao pé manco da cama velha
sem saber o que esperar do amanhã
a mulher se recorda que esqueceu de sonhar ontem

A deixei ali
chorando

eterna acontecência.

1 comentários:

  1. JURA on 18 de outubro de 2010 23:16

    belíssimos poemas, meu caro

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos