interlúdio

Por valéria tarelho | 10/18/2010 09:01:00 AM em , , |

Madrugada Interdita I

há uma
loba lua
de língua lábil
a lamber
libido-lembranças
no lóbulo
do olvido

há uma
felina dúvida
que arranha
uma ursa sina
que abocanha
uma víbora sanha
assaz
tirana

duvido do bis
do vis-à-vis
da lábia vez
(au
daz)
que ainda uiva
idas luas
insinua
íntimas unhas
crava nu[n]cas
inocula
sua peçonha

façanhas
de um céu insone
sobre insignes
arranha-cios


valéria tarelho

* imagem: Madrugada Interdita , de Carlos Botelho

3 comentários:

  1. Eryck Magalhães on 18 de outubro de 2010 20:54

    Maravilhosas as aliterações de seus versos, elas dão ritmo e beleza ao seu poema!
    Parabéns!

     
  2. valéria tarelho on 19 de outubro de 2010 07:39

    Olá, Eryck, obrigada pela leitura/comentário :)

    Abraço,
    V

     
  3. Danilo de Abreu Lima on 23 de outubro de 2010 11:17

    valeria,
    conheci teu trabalho pelo blog da nina-
    achei fantástico!
    abraços
    Danilo.

     


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Feeds RSS

Receba as novidades do Vale em Versos em seu e-mail

Livros do Vale

Apoiamos

Adicione

Arquivos